quarta-feira, 6 de março de 2013

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA PREFEITURA DE JARDIM DO SERIDÓ SOBRE UTILIZAÇÃO DO LARVICIDA NOVALURON‏

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Em razão da matéria divulgada pelo Blog “Barra Pesada”, a qual menciona que a água da população jardinense está sendo “envenenada” pela Prefeitura Municipal de Jardim do Seridó/RN, fato este, que teria sido comprovado após a visita do Sindicato dos Agentes de Saúde do Rio Grande do Norte (SINDAS/RN), vindo a verificar que os agentes do combate a dengue estavam tratando a água da população com “veneno” NOVALURON, fornecido pela Secretaria Estadual de Saúde vencido, vem, respeitosamente, a Assessoria de Imprensa, prestar os seguintes esclarecimentos:
1.                              Inicialmente é de se destacar que a Prefeitura Municipal de Jardim do Seridó/RN, quando informada da matéria publicada no referido blog entrou imediatamente em contato com a IV Regional de Saúde de Caicó e em seguida com a Secretaria Estadual de Saúde (SESAP), solicitando parecer técnico referente ao uso do larvicida NOVALURON, usado pelos agentes de endemias até o final de fevereiro.
2.                              Por sua vez, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESAP) enviou um parecer técnico no início da tarde desta terça-feira (5), comunicando que esse larvicida utilizado nos programas municipais de combate a dengue é fornecido pelo Ministério da Saúde para os Estados, que por sua vez distribui aos municípios.
3.                              No parecer foi informado que como o estoque de NOVALURON da Secretaria do Estado já havia acabado o Ministério da Saúde afirmou que não haveria a necessidade de realizar o aprazamento, ou seja, os municípios que ainda disponibilizava do larvicida em questão poderiam usá-lo até receber o novo larvicida DIFLUBENZURON, que por sinal, já está sendo usado em Jardim do Seridó desde o início do mês de março.

4.                              Inclusive, a Equipe do Controle Estadual da Dengue afirmou que do ponto de vista técnico sabe-se que produtos químicos, como os utilizados no combate ao vetor da dengue, não perdem as suas propriedades de um dia para o outro. É tanto que rotineiramente se faz, através de testes laboratoriais, aprazamento da validade destes produtos em situações como esta. Isso significar dizer que mesmo após a validade do larvicida em outubro como foi divulgado, na verdade ele poderia ainda ser usado por um período após a sua validade.
5.                              Como também, é muito remota a suposição de risco de intoxicação pela água em que o produto foi utilizado. Primeiramente porque a dose utilizada é muito próxima ao mínimo. A OMS (Organização Mundial de Saúde) indica o uso do NOVALURON de 0,01 a 0,05 mg i.a./litro, tendo o Ministério da Saúde adotado a dose de 0,02 mg i.a./litro, ou seja, muito próxima do mínimo autorizado. Segundo, é que com o vencimento o produto, tende a perder gradativamente suas propriedades físico-químicas e seus efeitos no combate ao vetor, mas não intensifica seu poder tóxico. Deste modo à população não correu nenhum risco de contaminação ou intoxicação.
6.                              Ademais, os Biólogos/Técnicos do Programa Estadual do Controle da Dengue do Rio Grande do Norte, Márcia Gonçalves de Lima e Victor Hugo D. Diógenes avaliaram que não houve nenhum prejuízo às atividades de competência municipal no combate a dengue e que não há aumento algum de risco a saúde dos agentes ao utilizar o produto vencido e ressaltaram que essa é uma discussão técnica e deve existir serenidade e responsabilidade nos questionamentos quando a eficácia do produto e possível risco de intoxicação. Prova disso, é que mesmo tendo sido usado desde o fim de sua validade em outubro, como foi divulgado, pelo Blog Barra Pesada, não se tem informação de nenhum caso de intoxicação no município.
7.                              Em tempo: É bom destacar que a Nota Técnica Nº 57/2011 da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde deixe bem claro, que o NOVALURON é um larvicida e não veneno que pudesse vim a envenenar a população de Jardim do Seridó como foi noticiado. Além disso, poderia ser usado em água potável, para o controle das larvas do mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue).
8.                              Por fim, a Prefeitura Municipal de Jardim do Seridó vem tranquilizar a população, ressaltando a importância da atividade dos agentes de endemias e do tratamento focal para eliminação de larvas nos focos de dengue. Este sim é um verdadeiro risco a população, inclusive de morte. Como também, a assessoria jurídica do Município já foi acionada para tomar todas as medidas cabíveis.

CLIQUE AQUI para ver o parecer técnico do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta postagem